De lá e de cá: Perambular

Você já pensou em quantas pessoas de várias gerações se comunicam, sonham e transmitem conhecimentos ao fazer uso da língua portuguesa?

Dizem que somos mais de 200 milhões que falam línguas em português. Mais de 500 anos de história e um oceano separam Portugal e o Brasil. Entre as características distintivas dos povos, a linguagem se sobressai como elemento fundacional. A maneira pela qual grupos expressam ideias, sentimentos e saberes, fazendo uso da oralidade ou do registro escrito, configura-se, para além de instrumento de comunicação, como um sistema de pensamento e orientação social. Por meio dele, criam-se formas de ver o mundo e interpretá-lo, e posicionar-se diante das coisas e dos seres. Isso porque palavras carregam histórias e acionam afetos, funcionando também como mecanismo de integração e exclusão.

E dessa linha de tempo de relações, o que temos de diferente e em comum através da língua e dos costumes? Olhe ao seu redor.  Tente identificar as raízes da cultura portuguesa. Difícil ou fácil? Consegue citar? Escrever num papel, ou bordar em uma toalhinha toda colorida?! Ao fazermos o exercício de olhar para quem somos, nossas percepções são diversas, diante da mescla de muitas outras culturas, que geram peculiaridades na língua, como sotaques, gírias e significados.

Ao se deslumbrar com as diferenças e similaridades entre as terras brasileiras e portuguesas, que a escritora, arte-educadora e atriz Selma Maria passou recolher e reconhecer objetos diversos sobre a temática. Acompanhada pelo escritor José Santos, em um processo de pesquisa de 10 anos e viagens que cruzaram o Atlântico, foi reunido um extenso material que busca dialogar, recordar e perambular por miudezas e as grandezas da cultura material e imaterial dos povos português e brasileiro.

Essas viagens cruzando mares resultaram na exposição Perambular. Para Selma, é “um passeio brincante e instigante pelas línguas portuguesas faladas no Brasil e em Portugal.” Nela, o público encontra “uma cartografia poética que brinca com as palavras e os elementos da natureza daqui e de lá”, com palavras faladas, escritas e até mesmo bordadas. A mostra traz brinquedos, palavras e objetos em sua arquitetura lúdica que perambula entre o Brasil, Portugal e o Atlântico. E entre tudo isso, dezenas de poemas escritos por Selma e José Santos. Alguns inéditos, feitos especialmente para a exposição.

A proposta de Perambular busca resgatar esse conhecimento cultural para as novas gerações.

“É saber como a nossa língua portuguesa se reinventa no Brasil e em Portugal”, nas palavras de Selma.

Esse pensamento se materializa num velho ditado: “Uma andorinha não faz verão”, deveras conhecido pelo povo brasileiro. Em terras portuguesas, o ditado permanence, mas a estação já não é mais a mesma. Essa similaridade que se desfaz geograficamente é representada na ambientação expositiva. “Criamos uma geografia espaçosa, espalhada e brincalhona que conta, com a ajuda da literatura e das artes plásticas, os jeitos de ver e de sentir desses dois povos”, conta a artista.

A exposição Perambular tem como temática um convite ao conhecimento das similaridades culturais que o Brasil tem com Portugal, e que contribui para o conhecimento de quem somos como nação. Afinal, como dizia o poeta Pessoa, “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”.

 

Perambular: um diálogo cultural entre Brasil e Portugal

Exposição Perambular

A exposição Perambular traz brinquedos, palavras e coisas que perambulam entre o Brasil, Portugal e o Atlântico. Vários espaços que trazem o que perambula nestas geografias atlânticas, brasileiras e lusitanas. Brincadeiras com palavras, poesias, quadrinhas, vídeos, sons, que mostram a poesia dos escritores Selma Maria e José Santos, o que eles pesquisaram em quase dez anos da cultura portuguesa continental e de suas ilhas. Onde encontraram aproximações e diferenças. Venha conferir e não se esqueça: “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena” já dizia o poeta Fernando Pessoa.

Curadoria e Textos: Selma Maria Kuasne (escritora, arte-educadora e pesquisadora de brinquedos) e Jose Santos (escritor).

 

WEBSÉRIE: Perambular e Brincar

Perambular é um projeto fruto da pesquisa de Selma Maria e José Santos pelas infâncias brasileiras e portuguesas, que perambularam por aldeias e os sertões destes países à procura de antigos e novos brinquedos, brincantes e histórias.

A proposta por trás da mostra abrigada pelo Sesc Carmo em 2020 – após passagem pelo Sesc Jundiaí (28 de março a 26 de julho de 2019) e Sesc Bauru (19 de setembro a 15 de dezembro de 2019) – transformou-se na websérie Perambular e Brincar, onde centenas de brinquedos são colocados em movimento em cinco episódios: Brinquedo-Movimento, Brinquedo-Natureza, Brinquedo-Geografia, Brinquedo-Palavra Brinquedo-Amizade.

Brinquedo-Movimento

Neste primeiro episódio, Brinquedo-Movimento, os brinquedos não ficam quietos: são eles que mexem com  a nossa imaginação… Você vai ver que é fácil encontrá-los por aí… e até inventar alguns deles. Já pensou um peão de legumes? Ou conhece um brinquedo antigo que existe em todo lugar e ninguém precisa comprar? Com a mestra do brincar Bárbara Catarina, inventora de palavras, você vai ver e ouvir tudo isso – e muito mais!

Assista ao episódio Brinquedo-Movimento, no SESC Digital

Brinquedo-Natureza

Neste segundo episódio, Brinquedo-Natureza, o tema são aqueles brinquedos que a terra nos dá de presente. Nele, veremos bichos feitos com frutas e legumes, barquinhos feitos com a casca do sobreiro, a cana do miriti e ouviremos o Mestre do Brincar, o português João Amado, que cria tantos brinquedos quanto é possível com a casca de uma noz! Descubra também, na aldeia alentejana de Azaruja, por que o sertão vai virar mar.

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com