Alaíde Lisboa e a literatura na escola

Alaíde Lisboa de Oliveira nasceu em 22 de abril de 1904, em Lambari (MG), e faleceu em Belo Horizonte, em 2007. Viveu a maior parte da sua longa vida na capital mineira, onde atuou em diversas frentes: exerceu carreira política, acadêmica e artística. Como escritora, publicou cerca de 30 livros, entre ensaios da área de Educação, didáticos e literários. Entre seus títulos mais conhecidos, encontram-se A Bonequinha Preta, que se tornou um clássico da literatura infantil brasileira, com mais de um milhão de exemplares vendidos. Alaíde Lisboa foi membro da Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais, da Academia Feminina Mineira de Letras e da Academia Mineira de Letras. Além disso, foi a primeira vereadora de Belo Horizonte, entre 1949 e 1952.

 

Pela Peirópolis, publicou os infantis:

O avião de Alexandre

Alaíde Lisboa, Ilustrações de Anna Cunha

24,5 x 17,5 cm • 32 págs. • 4 cores • Capa dura ISBN 978-85-7596-266-4

Saiba mais

Em O avião de Alexandre a escritora Alaíde Lisboa, autora do clássico A bonequinha preta, estimula a imaginação e a curiosidade do pequeno leitor com a história de um reizinho que queria voar. Enquanto a narrativa em palavras desenrola-se de forma ágil e bem-humorada, as ilustrações de Anna Cunha atuam como um contraponto, com imagens delicadas e misteriosas que imprimem outras cores à personagem.

Temas abordados: Sonho, desejo, imaginação.

 

Era uma vez um abacateiro

Alaíde Lisboa

15 x 30 cm • 32 págs. • Cor • Brochura ISBN 978-85-7596-027-1

Saiba mais

Ilustrada por Mario Vale, esta história, resgatada por Alaíde Lisboa de passagens da infância de seus filhos, foi publicada pela primeira vez em 1959, na série didática “Meu coração”. A Maria, personagem deste conto, foi inspirada na Maria de verdade, uma das filhas de Alaíde. Maria plantou um caroço de abacate e viu crescer uma bela árvore, cujo destino você vai conhecer ao ler o livro. Em Era uma vez um abacateiro você vai se emocionar com a relação de carinho existente entre uma família e um abacateiro e ver como ele acompanhou a trajetória dessa família quase como se fosse mais um integrante dela. Semente da imaginação de Alaíde, Era uma vez um abacateiro mantém-se viva e atual até hoje e leva a uma rica reflexão sobre a relação do homem com a natureza.

Temas abordados: infância, crescimento, lembranças, natureza, relações familiares.

 

E as adaptações de clássicos para crianças e jovens:

Simbad, o marujo

Alaíde LisboaAngelo Abu

15.5 x 23 cm • 96 págs. • Cor • Brochura ISBN 978-85-7596-220-6

Saiba mais

Neste livro, Alaíde Lisboa debruça-se sobre as aventuras de Simbad, o Marujo, história originária do Oriente Médio. Como os contos reunidos em As mil e uma noites, as aventuras do marinheiro de Bagdá que viaja pelos mares da África e da Ásia chegaram ao Ocidente pelas mãos do francês Antoine Galland, que as traduziu no final do século XVII. Simbad passa por inúmeras aventuras fantásticas, que incluem encontros com povos estranhos, seres monstruosos e fenômenos sobrenaturais. Alaíde reconta as sete viagens de Simbad, em narrativa entrelaçada por belas ilustrações de Angelo Abu.

Temas abordados: aventura fantástica, As mil e uma noites, Oriente Médio, PNLD 2020.

Essa obra foi selecionada para o PNLD 2020, clique aqui para saber mais.

 

Ulisses

Alaíde LisboaJuliana Bollini

19.5 x 29 cm • 56 págs. • Cor • Brochura ISBN 978-85-7596-304-3

Saiba mais

Este livro traz a interpretação da escritora e educadora Alaíde Lisboa para seis episódios extraídos da Ilíada e da Odisseia, em que Homero narra em versos as aventuras de Ulisses (Odisseu, na obra grega), o herói que partiu para a guerra e escapou inúmeras vezes da morte graças à sua astúcia. Para compor seu Ulisses, a autora escolheu os seguintes episódios: “O cavalo de Troia”, relato sobre a estratégia do guerreiro para vencer os troianos; “O gigante Polifemo”, “As sereias” e “Circe”, três encontros perigosos vivido pelo protagonista; “Nausíacaa”, momento em que o herói recebe ajuda de um reino estrangeiro; e “Penélope”, que conta o regresso para sua casa, na ilha de Ítaca, onde ele havia deixado sua mulher e seu filho. Com esta nova edição, cuidadosamente ilustrada por Juliana Bollini, a Editora Peirópolis busca manter viva a proposta da educadora Alaíde Lisboa de estimular o contato do jovem leitor com o melhor da literatura universal, como a obra de Homero, considerada hoje uma das principais matrizes da narrativa épica universal.

Temas abordados: Grécia Antiga, narrativa épica, aventuras.

 

Suas principais ideias sobre a literatura estão na peça radiofônica de Francisco Marques (Chico dos Bonecos):

Quando o segredo se espalha : a poesia em voz alta

Alaíde Lisboa, Francisco Marques

17 x 24 cm • 80 págs. • Cor • Brochura ISBN 978-85-7596-310-4

Saiba mais

Assim como num conto de fadas, este livro de ler pode se transformar num livro de ouvir. Nesta obra em áudio e papel, o poeta e arte-educador Francisco Marques (Chico dos Bonecos), resgata o legado da também educadora, escritora e política mineira Alaíde Lisboa, autora de A bonequinha preta, clássico da literatura infantojuvenil brasileira.
Voltado para educadores, o livro, escrito em formato de peça radiofônica, apresenta uma entrevista fictícia com a autora, falecida em 2006 em Belo Horizonte, e apresenta as ideias mais iluminadas de sua extensa obra sobre o ensino da língua e da literatura. Aqui, o ouvinte-leitor vai perceber, entre muitas outras surpresas, que as pequeninas delicadezas que envolvem a natureza humana podem ser despertadas pela poesia, e poderá resgatar as delícias da leitura em voz alta e da declamação, uma brincadeira que crianças e adultos de hoje parecem ter esquecido.

Temas abordados: ensino da literatura, peça radiofônica, poesia em voz alta.

 

A escritora e educadora Alaíde Lisboa (1904-2006) fala sobre a importância do livro literário na escola.

Alaíde Lisboa comenta a contribuição que os irmãos Henriqueta Lisboa e José Carlos Lisboa, também escritores, tiveram em sua formação.

3 Comments

  • Marco Aurélio Gorgulho Bacha Posted 20 de agosto de 2013 12:54

    Alaíde fez livros de ensino literário mais a frente de seu tempo; quem lesse (no caso, as crianças) gostava de literatura, não eram aqueles livros antiquados, que a criança pegava e sentia horror para sempre de letras mal escolhidas, para gostar de ler e do que está lendo: muita coisa contemporânea no melhor estilo;;; só assim aprenderiam a gostar dos antigos;;; Henriqueta, nem precisa dizer, poeta habilíssima, que não sei porque não cantou muito a sua terra de nascença e adolescência: Lambari;;; e José Carlos Lisboa, talvez o maior hispanista que este Brasil já conheceu, dada a complexidade de excelentes estudos de autores hispânicos.
    Eu diria que em importância intelectual, foram mais importantes que qualquer duo ou trio familiar em qualquer lugar ou época do planeta;;; hoje em dia aqui em minha triste terrinha, se pergunta para a maioria quem foram, não tem a mínima ideia, estão todos afogados no grande esquecimento cultural, que não assola apenas Minas, mas todo o território nacional. Alaíde queria mudar isto.

  • Maria Helena Portugal Rodrigues Posted 24 de agosto de 2015 17:41

    fui professora em BH na Escola Estadual Helena Guerra ,em Contagem em 1967,e encenei com os alunos do 1o ano primário essa linda história da Bonequinha Preta.Sou filha do Professor Portugal que se casou em segunda núpcias com a prima da Alaíde ,Professora Maria José Mello Paiva Portugal ,ex-diretora da Escola Normal do Instituto de Educação .E recebi da poetisa Henriqueta Lisboa um presente dela no meu casamento .Muitas lembranças saudáveis.Visitei o centro de Lambari e não tinha nada no cantinho da Alaíde !

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com