Hortas na educação ambiental em destaque na revista Crescer

Poucas experiências podem ser tão enriquecedoras quanto aprender e ensinar com o que o planeta nos dá e pede silenciosamente. Essa é a proposta do livro Hortas na educação ambiental – na escola, no comunidade, em casa, de autoria de Maria Célia Bombana e Silvia Czapski, ambas fundadoras da Associação Ituana de Proteção Ambiental. Nele as autoras ensinam-nos a explorar, de forma criativa, as infinitas possibilidades pedagógicas de cada fase de desenvolvimento das plantas.

O livro foi tema da reportagem “Projeto de todos”, publicada na revista Crescer no dia 1 de setembro de 2011. Para acessar a reportagem, clique aqui.

Abaixo publicamos o prefácio de Carlos Alberto Ribeiro de Xavier, assessor especial do Ministro da Educação, e o sumário da obra.

PREFÁCIO

Algumas publicações incluem até mais que um prefácio, ou apenas duas ou três palavras introdutórias que geralmente apresentam um assunto ou o autor do texto, como uma advertência para as qualidades implícitas na obra escrita que vai a seguir. Aqui, poderia ser dispensável apresentar a Associação Ituana de Proteção Ambiental (AIPA), uma vez que foi criada em 1986 e logo se tornou amplamente conhecida – não só pela repercussão de suas atividades, mas também pela eficácia do trabalho da sua equipe, orientada pelo Dr. Juljan Czapski. Entretanto, é bom reafirmar para aqueles que só agora tomam conhecimento da AIPA que se trata de uma entidade privada, sem fins lucrativos e de objetivos sociais inquestionáveis, isto é, uma verdadeira ONG, e que foi, ainda nos anos 1980, a primeira entidade não governamental de defesa do meio ambiente a se inscrever no Ministério da Cultura e se credenciar aos benefícios e incentivos fiscais das leis de fomento à cultura em nosso país. Sobre o livro Hortas na educação ambiental, preparado a partir da experiência de cerca de quinze anos da equipe de educação ambiental da AIPA, também este prólogo poderia parecer dispensável, uma vez que o trabalho com hortas escolares já é tão comum que qualquer pessoa pode imaginar do que se trata. Entretanto, não é bem assim. Este programa não é como outros que grandes companhias oferecem às escolas, com farto e rico material de divulgação e para trabalho de campo. Tais programas frequentemente não alcançam seus objetivos, por serem muito impessoais ou por não conseguirem desenvolver a indispensável sinergia entre os atores do processo.

O programa de hortas escolares que a AIPA executou por todos esses anos propõe uma série de atividades lúdicas e pedagógicas com a horta, segundo o conteúdo programático adequado a diversas faixas etárias, e sugere especialmente o envolvimento direto dos professores, diretores, merendeiros, homens e mulheres que atuam no processo ensino-aprendizagem para o efetivo desenvolvimento do trabalho.

A partir desse envolvimento e desenvolvimento, adaptando-se propostas das próprias crianças e observando-se o processo, é que se criam novas possibilidades de trabalho com a horta orgânica, a qual se transforma tanto em alimento efetivo como em ensinamentos que marcarão positivamente a vida de cada aluno, pois atividades como essas, em grupos, proporcionam o diálogo, o questionamento, a surpresa, a espera pelo crescimento das plantas e, finalmente, sua utilização e a compreensão dos processos naturais.

Para mim, é uma grande satisfação ver a semente plantada pelo Dr. Juljan se desdobrar em tão bons frutos – como este livro, o jornal Urtiga (editado pela associação durante vinte anos, com distribuição na região de Itu e para formadores de opinião de outros municípios) e, principalmente, o persistente interesse e disponibilidade da AIPA em trabalhar pela melhoria da relação dos homens, mulheres e crianças, entre si e com o meio em que vivem, para a construção de nosso futuro comum.

Carlos Alberto Ribeiro de Xavier é economista e Assessor Especial do Ministro da Educação. Foi membro do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) por mais de vinte anos, Chefe de Gabinete dos ministérios da Cultura e da Educação, diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro e presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

SUMÁRIO

Primeira parte
A horta… e outras atividades
Da escolha do espaço à colheita

CAPÍTULO 1 – A horta: como implantar
CAPÍTULO 2 – A rotina na horta
CAPÍTULO 3 – Plantas medicinais
CAPÍTULO 4 – Árvores: como escolher, plantar e cuidar
CAPÍTULO 5 – Campanha permanente: reduzindo o lixo de nossa cidade
CAPÍTULO 6 – Atividades complementares

Segunda parte
Atividades práticas para cada momento da horta, dentro ou fora da escola

CAPÍTULO 1 – Crianças de 3 a 4 anos (primeira fase da Educação Infantil)
CAPÍTULO 2 – Crianças de 5 anos (segunda fase da Educação Infantil)
CAPÍTULO 3 – Crianças de 6 a 7 anos (terceira fase da Educação Infantil ou primeiro ano do Ensino Fundamental)

 

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com