Impressões de leitura – Simbad, o marujo

Alguém já disse que a literatura se alimenta da própria literatura…
Simbad, este intrépido marujo, é personagem que já incorporou o imaginário universal… Vem de outras eras, vem dos escaninhos perdidos da história… Uma história que foi, mas que continua sendo… Por isso, é personagem que, sem se desligar da tradição, faz, ainda, parte do nosso repertório atual, do imaginário cotidiano… Retratado de múltiplas maneiras pelo universo da Arte (cinema, poesia, pintura, canto, literatura, etc) a personagem continua a nos motivar, mais que isso, a nos provocar, a nos instigar, a nos fazer também querer sair do marasmo e empreender novas aventuras. Como inúmeros personagens da literatura, espelhos de nosso interior, também somos seres ávidos, ávidos de aventuras, prenhes de sonhos, procurando – entre o medo e o desejo – sempre o novo…
Somos seres da palavra… Necessitamos de narrativas… Espelhos d’alma, elas embalam os nossos sonhos, motivam e impulsionam ocultas aspirações, alimentam incontáveis desejos (sufocados, alguns inconfessáveis), provocam outros tantos desejos… Somos movidos pelo instinto de vida… Viver é tentar conferir realidade aos desejos, à nossa sede de aventura… A adolescência é uma fase de inquietações, de descobertas, de autoafirmações… Quem não passou por isso?… Esta narrativa, tradicional e moderna, representa, metaforicamente, um convite gostoso ao se deixar levar pelas nossas aventuras em mares que não são necessariamente os mesmos mares singrados pelo marujo…
Linda recriação

Joel Cardoso –  professor de História da Arte, do Cinema e do Audiovisual na Universidade Federal do Pará

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com