Pescando Imagens com rede textual: HQ como tradução – release

EDITORA PEIRÓPOLIS LANÇA ‘PESCANDO IMAGENS COM REDE TEXTUAL – HQ COMO TRADUÇÃO’

Obra apresenta ao leitor a utilização de HQs como expressivas e eficientes traduções das obras clássicas da literatura

 

FICHA TÉCNICA

Título: Pescando imagens com rede textual – HQ como tradução

Organizadoras: Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa e Andreia Guerini

Formato: 17 x 23,5cm

Nº de páginas: 112

ISBN: 978-85-7596-299-2

 

Não é de hoje que as artes se cruzam, inventando releituras, adaptações e recriações. A relação entre texto e imagem na tradução de clássicos da literatura universal para quadrinhos, que teve destaque durante o século XX e ganha novo ímpeto neste começo de milênio, é o tema da obra Pescando imagens com rede textual – HQ como tradução, que a Editora Peirópolis lança este mês. Para oferecer diferentes perspectivas sobre o assunto, as organizadoras Teresa Virgínia Ribeiro Barbosa, especialista em estudos literários, e Andreia Guerini, teórica da tradução, reuniram especialistas, roteiristas e quadrinistas que revelam no livro a poderosa interação entre a literatura e os quadrinhos e seu papel na formação do leitor literário.

As organizadoras explicam que a obra é resultado das reflexões obtidas no decorrer de dois anos de estudos, pesquisas e da observação da iconicidade da Ilíada em HQ. De forma objetiva, clara e bastante didática, compartilham com o leitor as suas reflexões no processo de tradução textual da Ilíada e as lacunas diante do poder de visualização do texto greco. Elevam ao estatuto de “tradução” a prática de narrar em quadrinhos obras clássicas em oposição à classificação de meras adaptações, sendo a HQ-tradução uma forma muito expressiva e eficiente que utiliza linhas e cores sem perder as peculiaridades, o que normalmente ocorre no processo de tradução. Na obra, Piero Bagnatiol, roteirista, juntamente com Giuseppe Bagnariol, de “A Divida Comédia em Quadrinhos, publicada pela Editora Peirópolis, discorre, por exemplo, sobre o tema “Tradução por imagens de clássicos da literatura: um retorno à iconografia antiga e medieval”, e mostra ao leitor como foi o processo que chama de HQ-Tradução para esta obra e também para a Ilíada, de Homero, em quadrinhos.

“A retórica das imagens” é o texto apresentado pela escritora Andreza Caetano. Já o roteirista Paulo Corrêa discorre sobre “As figuras retóricas em quadrinhos”; e Fabiano Azevedo Barroso, fala sobre “Quadrinizar a literatura ou literaturizar o quadrinho”, abordando a questão da linguagem dos quadrinhos, o histórico da literatura em quadrinhos no Brasil e suas perspectivas. Para a editora Renata Borges, o processo de adaptação de um texto literário para uma narrativa em quadrinhos traz vantagens tanto para o texto literário quanto para a HQ. “Mais do que uma mera reprodução de roteiros canônicos em imagens, as conversas entre literatura e quadrinhos criam um novo texto que busca não apenas o que a história narra, mas também e principalmente como ela é narrada, podendo enriquecer bastante a leitura da obra original”, diz.

As organizadoras da obra acreditam que para formar um público leitor crítico e consciente de literatura qualquer esforço estético vale à pena e as HQs são também um instrumento importante para esta formação. “Neste livro buscamos, sobretudo, dar o enfoque linguístico merecido tanto à literatura, com suas inúmeras figuras retóricas, quantos às HQs, com sua inesgotável capacidade de conjugar imagens e palavras para manifestar pensamentos”, afirmam. Segundo elas, “certo é que qualquer texto e qualquer autor são passíveis de serem vertidos para os quadrinhos, ao contrário do que se pensava na primeira metade do século XX. Independentemente da temática abordada, o que interessa é a capacidade humana e linguística de utilizar-se da palavra para desenhar imagens. Pois bem, se somos capazes de criar essas imagens quando lemos, também somo capazes de traduzi-las em quadrinhos”.

 

Sobre as organizadoras

Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa é professora de grego na universidade Federal de Minas Gerais desde 1980. Tem experiência na área de Letras e Teatro. Foi tradutora colaboradora no Dicionário Grego Português (Editora Ateliê) é tradutora do drama satírico remanescente de Sófocles, Icneutas, os sátiros rastreadores (Editora UFMG, 2012).

Andreia Guerini é professora na universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Letras, Teoria da Tradução, Literatura Italiana, Literatura Traduzida, Literatura Comparada. Atua também como professora visitante na università per Stranieri di Siena/Itália. É autora de Gênero e tradução no Zibaldone de leopardi (Edusp, 2007).

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com