Poemas de brinquedo – release

Poemas de Brinquedo
Informações da publicação transmídia

Lançamento em Belo Horizonte

Dia 25 de junho, sábado, 10 h da manhã, na nova Bibloteca Infantil e Juvenil de Belo Horizonte, no Centro de Referência da Juventude, na pca. da Estação, ao lado do Museu de Artes e Ofícios, acontece o lançamento do livro transmídia Poemas de Brinquedo, de Álvaro Andrade Garcia. No evento, será apresentada ao público a versão digital em formato de app para dispositivos móveis e a versão impressa em forma de cartas para manusear e brincar. Durante o lançamento acontece um colóquio sobre usos dos Poemas de Brinquedo em contexto de mediação de leitura e uma pocket performance do poeta Ricardo Aleixo, que vocaliza os textos no app.

O projeto

Neste livro audiovisual e interativo, disponível gratuitamente em formato de aplicativo e também em papel, o artista mineiro Álvaro Andrade Garcia apresenta toda a potencialidade de obras poéticas que ultrapassam o impresso e transbordam para outras mídias. Aliando a palavra escrita à palavra entoada, as imagens poéticas às imagens cinematográficas, ele cria o que Ricardo Aleixo chama de poesia expandida.

Poemas de Brinquedo mostra textos lúdicos que receberam camadas de criação gráfica, animação e vocalização. O conteúdo é adequado e publicado em diversos meios simultaneamente, num arrastão semiótico que também inclui corpo e voz em performance e videoinstalação interativa.

A partir de uma seleção de poemas lúdicos com aptidão visual e/ou sonora para publicação em meio digital, foi produzida uma versão verbivocovisual com camadas de design gráfico, audiovisual e animação. A partir dessa obra finalizada em app foi pensada a obra impressa, em forma de cartas para manusear e brincar, acondicionadas numa luva que também convida o leitor a acessar o app através de um QR code na contra capa.

Em situações de mediação de leitura a obra é farta de estímulos para descobrir com crianças como nascem as palavras, como se inventam palavras (Guimarães Rosa), o que é a comunicação poética (Décio Pignatari). Permite brincadeiras para descondicionar a lógica e abrir novas formas de pensar (koans e Lewis Carroll). Pode ser usada para mostrar como se dá a formação de palavras: sufixos, prefixos, variações sonoras, sotaques, língua culta, língua falada, gírias, idioletos… Pode ser usada para estimular alunos a criar, com sugestões para completar, consertar, imaginar, perder o temor do dicionário, das palavras “difíceis”.

Poemas de Brinquedo se integra a uma coleção de títulos da editora Peirópolis que tratam da cultura da infância.

Os poemas

Há muito esses poemas estão presentes na obra do autor, foram publicados em O Verão Dentro do Peito (1998) e Álvaro (2004), Nunca haviam sido recortados e animados para o público infantil de todas as idades.

Segundo Álvaro, “esses poemas brincantes surgiram para me libertar da própria educação. Cresci numa casa em que a palavra sempre foi tratada com muita seriedade, sempre muito adulta e cheia de obrigações. Todas as paredes tinham estantes cheias de livros, as conversas eram filosóficas, antropológicas, sociológicas, religiosas, políticas, tudo com muita estrutura e conceito. Até que chegou uma época em que quis brincar com a palavra, recuperar seu viés criativo, inaugural. Visitei, então, quantas vezes… a terra da infância e a fala do povo, onde são encontradas ainda frescas e livres, muitas vezes nascendo, sem compromissos. E como brinquei com elas… Para mim, estes poemas são um exercício de descondicionamento, de estímulo ao experimento e à imaginação.”

São textos que perderem a seriedade. voltaram ao momento mágico da criação de palavras e sentidos, terra do experimentar. Poemas para brincar, ler com sotaque, trava-línguas, palavras inventadas, medonhas e coisas escritas errado para consertar. Jogo do dicionário: palavrórios incríveis para adivinhar. Estórias engraçadas e barulhentas, sons para cantar e também azucrinar. Palavras com arestas e desenhos malucos, ainda sem significado, para batizar.

Créditos

Poemas de Brinquedo versão 1.0 – maio de 2016

Álvaro Andrade Garcia e Renata Fahat Borges: editores transmídia

Textos e direção do app Álvaro Andrade Garcia
Design sonoro Ricardo Aleixo
Design gráfico Marcio Koprowski
Software Lucas Junqueira

Realização

Ciclope – arte e publicação digital www.ciclope.art.br
Editora Peirópolis www.editorapeiropolis.com.br

O aplicativo é imaginado com o software livre
de publicação digital Managana – www.managana.art.br

A publicação do app é patrocinada pela
Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte

Para crianças e adultos a partir de quatro anos de idade.

Links úteis

Poemas de Brinquedo pode ser encontrado impresso, no formato de cartas,
nas melhoras livrarias e também no site https://www.editorapeiropolis.com.br

POEMAS DE BRINQUEDO


Página âncora do app com acesso on line, e também instruções sobre
como baixar o app e achar o livro impresso para comprar.

http://www.managana.org/player/?c=pb
Link direto para o aplicativo em tela cheia na web usando flash player

http://www.managana.org/player/?c=pb-hd
Link direto para o aplicativo em tela cheia na web usando flash player (em HD)

O livro também roda localmente em CD ROM e em videoinstalações interativas.
Breve aqui link para instalador de executável para pc e mac (para usar sem internet)

Links úteis para divulgação

http://www.ciclope.com.br/category/imprensa/
Link para seção imprensa do site com informações para divulgação

Poemas de Brinquedo: vídeos do app


Link na seção imprensa para vídeos do youtube e também para baixar vídeos em HD
para uso em de emissoras de televisão

Poemas de Brinquedo: fotos de telas do app


Link na seção imprensa para frames do app

Poemas de Brinquedo: cartaz e folder


Link na seção imprensa para baixar o cartaz e folder

Poemas de Brinquedo: fotos do livro impresso


Link para fotos do livro impresso sendo manuseado

Facebook
Instagram